quinta-feira, 13 de março de 2014

Deixa ser


Hoje, para ser diferente, acordei com vontade de caminhar para qualquer lado, qualquer canto.
São os sinais que a vida dá. São as pequenas revoluções em nossa maneira de pensar. Olhos abertos, olhos fechados. Olhos dispostos a ver, olhar através da penumbra das opiniões amargas sobre o destino, sobre o que o amanhã reserva.

Um dia, desses que nunca se espera, vai amanhecer sem aviso. Em um tempo de águas paradas há sempre uma visita inesperada. São os pequenos casos impensáveis da vida subestimada. São as pequenas felicidades de ver em acontecimentos aleatórios, pontos costurados entre si que constroem a sensação mais perfeita do "isso era para ser". E será, o que tiver de ser. Será o que escolher ser.

Haverá manhãs reveladoras em um dia qualquer.

Eu vi que algo só acontece quando a tentativa de forçar os fatos cessa. Quando a felicidade não é apenas um apelo para viver a vida.

E quando acontecer, deixa ser. Deixa as águas seguirem o percurso, deixa você suas ideias antiquadas de como tudo tem que ser. Esquece o medo de desatinar.

Algumas coisas só acontecem uma vez. E no ensaio da vida o bonde não tem sino. Abre os olhos, abre os braços. Uma hora vem.


3 comentários: